Super-heróis em luta pela igualdade

Saiba mais sobre as bandeiras de Pantera Negra, Luke Cage, Homem-Aranha e outros.

Os anos 60 foram uma época de revolução. Anos de lutas sociais, de grandes passeatas e manifestações. Nos Estados Unidos, a década de 60 foi fundamental na luta pelos direitos civis. Os pedidos de mudanças foram levados a cabo principalmente pela população afro-americana, que apesar da abolição da escravatura, vários anos antes, continuava sem contar com os mesmos direitos do resto da população. Consciente da importância de apoiar a causa e da necessidade de mudanças na sociedade, Stan Lee quis colaborar com o seu grão de areia através do que ele melhor sabia fazer, que era escrever histórias em quadrinhos. Foi assim que, em 1966, ele introduziu um personagem afro-americano muito diferente de tudo o que já havia sido feito até então. Chamava-se T’Challa e surgiu no número #52 de Fantastic Four.
T’Challa era um personagem completamente oposto aos estereótipos da época associados aos personagens negros. T’Challa era nem mais nem menos que o príncipe de uma próspera nação africana, rica e avançada cientificamente. Ele próprio era um brilhante cientista e atleta de nível olímpico e, obviamente, o dono do lendário traje de Black Panther. Era tão poderoso que sozinho conseguiu vencer os 4 Fantásticos na primeira vez em que se enfrentaram.
Três anos depois Falcão se transformou no primeiro super-herói afro-americano (Pantera Negra era africano). Novaiorquino do bairro do Harlem, Sam Wilson era filho de um ministro protestante. Cansado do racismo e cheio de raiva por causa da morte de seus pais, Sam se transformou num criminoso, mas após conhecer o Capitão América, ele deixou para trás seus dias sombrios e se transformou em Falcão, o grande companheiro do Capitão América em muitas aventuras.
Também oriundo do Harlem era Luke Cage, que surgiu um pouco mais adiante, em 1972, e trouxe ao gênero uma dose de rua, um ingrediente que antes não havia aparecido. Cage foi preso injustamente, acusado de um crime que ele não cometeu. Lá ele participou de um experimento que lhe conferiu uma força descomunal e uma pele à prova de balas, e voltou ao bairro de toda a sua vida para acertar contas pendentes contra o crime organizado que assolava a sua comunidade. Anos depois, Luke cobrou tanta importância que não só formou parte dos Avengers, mas inclusive foi líder do grupo.
Tempestade chegou 3 anos depois. Seu nome era Ororo Iqadi Munroe e ela era nativa do Quênia. Ororo era mutante, uma das mutantes mais poderosas do mundo, já que tinha o poder de controlar o clima, além de voar. Foi acolhida na escola de Charles Xavier e passou a formar parte dos X-Men. Anos mais tarde conheceu o Pantera Negra, com quem se casou, transformando-se em rainha de Wakanda. Tempestade foi, em muitas ocasiões, líder dos X-Men.
Em 1979 chegou War Machine (Máquina de Combate). Tratava-se de James Rhodes, membro dos fuzileiros navais e depois piloto de Tony Stark. Foi trabalhando para ele que muitas vezes utilizou o traje de Homem de Ferro quando Tony não podia incorporá-lo. Tony finalmente decidiu criar um traje especialmente para Rhodes com o nome de Máquina de Combate. Desde então War Machine tem estado sempre perto do Homem de Ferro, conformando uma das duplas mais poderosas do Universo Marvel.